quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Oscar 1942 - Cidadão Kane


Primeiro longa dirigido por Orson Welles, Cidadão Kane (Citzen Kane) foi um dos filmes que bateu de frente com "Como Era Verde Meu Vale" no Oscar de 1942. Indicado em nove categorias, levou apenas o prêmio de "Melhor Roteiro Original". Considerado um dos maiores filmes já feitos – devido às suas inovações cinematográficas - ele conta a história de Charles Foster Kane, que de garoto pobre se torna um dos magnatas da comunicação.

O filme é marcado por uma narrativa não linear - um dos grandes méritos da direção inovadora de Welles - e se inicia com o protagonista, em seu leito de morte, pronunciando sua última palavra: "Rosebud". E é por causa dessa palavra que conhecemos, através de flashbacks – mais um artifício para contar a história – a vida de Foster Kane, já que surge um jornalista disposto a pesquisar e tentar descobrir seu misterioso significado.

O elenco principal é de primeira, contando com o próprio Welles, como Kane, e Agnes Moorehead, no papel de sua mãe, a Sra. Mary Kane. Distorções de imagens, closes, tomadas pouco convencionais e a grande fotografia de Gregg Toland fazem de Cidadão Kane um filme ousado, moderno e inovador. Uma obra-prima, enfim.

Perfil: Orson Welles


George Orson Welles, ou apenas Orson Welles, iniciou sua carreira como ator em 1934 nos palcos de Nova York e um tempo depois criou sua própria companhia, o Mercury Theatre. Dois anos após, trocou o teatro pelo rádio, onde era ator, diretor e produtor. Foi nessa época que transmitiu a versão radiofônica do livro "Guerra dos Mundos" de H. G. Wells. O programa foi um sucesso e causou um enorme caos entre os ouvintes, que pensaram que estavam realmente sendo atacados por ETs.

Em 1939 George Schaefer (na época presidente da RKO Pictures) contratou Orson, que teve total controle artístico de seus filmes lançados pela produtora.

É notória também a sua passagem pelo Brasil, onde pretendia filmar cenas do carnaval carioca para o seu documentário “It’s All True”. No Rio, Welles se encantou por nosso futebol e se tornou torcedor do Botafogo, a ponto de usar a camisa do time numa entrevista coletiva.

Morreu em janeiro de 1985, aos 70 anos de idade, declarando o seguinte, sobre sua profissão: “Esse é o maior trem elétrico que um menino já teve.”

Curiosidade: Você sabia que...

... especula-se que o personagem principal, Charles Kane, foi inspirado no jornalista William Randolph Hearst?

... na cena em que quebra o quarto, Welles cortou a mão, mas continuou atuando, tanto que percebe-se, ao final da cena, que ele mantém uma das mãos sempre fechada?

... Agnes Moorehead é lembrada por muitos como Endora, a mãe da bruxinha boa Samantha, no seriado dos anos 60, “A Feiticeira”?

... a BBC produziu um documentário chamado “Muito Além do Cidadão Kane”, comparando Roberto Marinho, fundador das Organizações Globo, a Charles Foster Kane, e debatendo a influência do grupo, seu poder e suas relações políticas na história brasileira recente?

... dentre vários filmes analisados, desde os mais antigos até os mais recentes, o personagem Charles Foster Kane ocupa a 98ª posição do ranking criado pela conceituada revista Empire?

Cidadão Kane foi indicado nas seguintes categorias :
  • Melhor protagonista
  • Melhor direção de arte preto-e-branco
  • Melhor fotografia preto-e-branco
  • Melhor diretor
  • Melhor montagem
  • Melhor trilha sonora
  • Melhor filme
  • Melhor som
  • Melhor Roteiro Original

15 comentários:

rattleheadbrasil disse...

Eu ainda não vi esta obra-prima já tive ele aqui alugado, mas por imprevistos acabei devolvendo-o sem ver. Obrigado por me lembrar de furar a fila com ele nos meus "filmes à assistir".

Grande abraço!

Ana Célia disse...

Nossa..mto legal seu blog! E criativo! Mostrar filmes que estao nos cinemas ou que passam na globo,todo mundo faz, mas falar a fundo de filmes antigo, só vi no seu blog.
Parabéns!
E Feliz 2010!

Nana disse...

Uma ótima criatividade , amei o Blog
da vontade ate de copiar ^^
não não estou brincando , gostei das fotos , e do conteúdo muito bom mesmo.

Inez disse...

Parabéns pela excelente resenha de um dos maiores filmes da história do cinema.

Jaime Guimarães disse...

Bem, como o Marcelo e a Cíntia sabem, eu não sou muito fã de cinema ( não, não sou nenhum ET) e até por isso não costumo acessar os blogs sobre essa temática porque realmente não tenho o que acrescentar às discussões.

Mas este filme é um daqueles que eu gostei demais e assisti com prazer algumas vezes, por isso dá "pano pra manga". "Cidadão Kane" fascina não apenas pelos detalhes técnicos (muito bem lembrados na excelente resenha, diga-se de passagem) mas principalmente pela história e o modo como ela foi contada.

A saga de Kane/Hearst no cinema serviu de inspiração até mesmo para algumas obras literárias e HQ's que vieram mais tarde. E é interessante notar, como um aspecto que eu destacaria de forma pessoal, que todos nós temos um "Rosebud" em nossas vidas. ( se alguém ainda não assistiu ao filme e ficar curioso pra saber o que é "Rosebud", não serei eu que vou contar...rs)

É um grande filme, extraordinário! E Orson Welles era genial, além de maluco: em 1939 Welles fez uma leitura de um conto de H.G. Wells em que a Terra era invadida por marcianos. Foi tão convincente em sua transmissão radiofônica que colocou uma nação inteira em pânico! Não foi a intenção do cineasta/ator/radialista, mas demonstrou ali como as massas podem ser manipuladas de forma até "simples", digamos. Os nazis que o digam.

É isso. Recomendo tanto o filme quanto o documentário "Além do Cidadão Kane", que está disponível no youtube. Molezinha pra se assistir um capítulo interessante de nossa recente história, falando em "métodos de manipulação". ( por isso o nome do documentário é pertinente) Participação mais do que especial de nosso inesquecível e saudoso Painho ACM, o babalorixá baiano! uhauhauhauha! =D

Um abraço!

PS: eu ainda era um jovem adolescente cheio de espinhas quando vi na TV Cultura uma adaptação de "Othelo", de Shakespeare, dirigida e interpretada por...Orson Welles! Bem legal esse filme. Cinéfilos, caçem! rs

Pobre esponja disse...

É um clássico, um filme Cult que terei de ver nesse 2010!

abç
Pobre Esponja

Cintia Pereira disse...

Muito bom o conteúdo do seu blog e seu texto flui deliciosamente enquanto nos traz preciosas informações.
Ontem assisti a um filme do Fellini e fiquei me perguntandando porque não existem mais cineastas tão criativos quento Fellini, welles, Hitchcock...

Vanessa Lee disse...

Eu assisti esse filme há uns 12 anos atrás e por muitos anos ainda tivemos o vhs dele (se é que não está ainda perdido por aqui).
Me lembro que eu resisti de assistir por achar que ele seria chato. Minha mãe bateu pé, pois havia lido que era o melhor filme de todos os tempos. Afinal, sua missão era me "libertar" dos besterois que gostava na época.
Eu lembro de ter gostado, mas achado meio besta o que significava "Rosebud", apesar de hoje compreender.

Mattheus Rocha disse...

'Cidadão Kane' é um dos meus filmes favoritos. Para mim, Rosebud seria a inocência perdida, a juventude, a vida. Parabéns pelo post.

Abraço !!

Cintia Carvalho disse...

Oi rapazes!

Bem, vi o filme na terça e confesso que a história é boa e realmente prende a atenção. Apos terminar fui pesquisar na net sobre o filme. Na época ele causou rebuliço e até hj é considerado uma das maiores obras do cinema. O tema e a narrativa (não linear) inovaram a forma de se contar uma história. Além da fotografia, que considero de ótima qualidade. Bem feita.

Um fato que me chamou muito a atenção nele foi de que nos créditos finais, os atores que participaram do filme eram todos novatos, inclusive o próprio OW. Ponto para ele, pois soube escolher sua equipe, muito boa.

De fato, é uma das melhores tramas que o cinema ja produziu, mas quanto ao fato de ter perdido o oscar para "como era verde o meu vale", vou expressar minha opinião depois que vcs colocarem as suas.

Um beijo.

Cleber Eldridge disse...

Me envergonho ao dizer que nunca vi este!

Reinaldo Glioche disse...

Marcelo, Cintia e todo mundo que colabora no blog, meus parabéns. Isso aqui tá show de bola. Ou de cinema, para aprimorar a analogia...rsrs

Acho justa a vitória de Como era verde o meu vale nesse ano aqui. Apesar de reconhecer a grandeza do filme de Orson Welles não o vejo como o marco zero do cinema moderno como muita gente vê. Assim como também não enxergo em Avatar a revolução que pretendem atrelar a ele.

Grande abraço!
E vou seguir vcs por aqui!

thicarvalho disse...

Um dos maiores filmes já feitos na história do cinema. Grande na trama, na produção, nos cenários, nas cenas e principalmente na atuação. Orson Wells dá um show a parte neste filme, que independente do tempo, sempre será atual. òtimo texto, parabpens. Vou adicionar vcs em meu blog.

Visitem www.cinemaniac2008.blogspot.com

carolbrasilbr disse...

Fala sério, o cara veio aqui e se tornou botafoguense???

Nespoli disse...

Tive a rara oportunidade de vê-lo no cinema (não na época que foi lançado, obviamente, rs) e foi sem dúvida uma experência inesquecível...

diHITT - Notícias