sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Oscar 1998 - Boogie Nights / Mera Coincidência



Todo mundo tem algo especial. O algo especial de Eddie Adams (Mark Walhberg) encontrava-se no meio das pernas. E foi esse "dote" que o levou a seguir um caminho oposto daquele trilhado pelos seus amigos de colégio. De lavador de pratos, o rapaz torna-se um fenômeno nas mãos de Jack Horner (Burt Reynolds), um diretor de filmes adultos que descobre o “enorme” talento de Adams. Esse é o mote de Boogie Nights - Prazer Sem Limites (Boogie Nights), longa dirigido por Paul Thomas Anderson e baseado no curta de 1988, The Dirk Diggler Story, que conta a história da ascensão de um astro pornô, nos anos 70; sua fama, seu envolvimento com mulheres, bebidas e drogas, e que foi indicado em três categorias na cerimônia de 1998.

Com um elenco com nomes como Julianne Moore (que concorreu como atriz coadjuvante), Philip Seymour Hoffman e Alfred Molina, Boogie Nights foi o segundo trabalho do diretor, que produziu o documentário que originou o longa quando contava com apenas 17 anos!

Reza a lenda que o papel de Dirk Diggler (o nome artístico de Eddie) foi oferecido a Leonardo Di Caprio, que declinou do convite, embora tivesse gostado do projeto, por já estar comprometido com a produção de Titanic, indicando, ele próprio, o amigo Mark Walhberg para o papel.

INDICAÇÕES:
  • Melhor Ator Coadjuvante (Burt Reynolds)
  • Melhor Atriz Coadjuvante (Julianne Moore)
  • Melhor Roteiro Original (Paul Thomas Anderson)


-------------------------------------------------------------------------------------------------

Depois de Rain Man, o ator Dustin Hoffman e o diretor Barry Levinson voltaram a unir forças em Mera Coincidência. Esse filme de 1997, ainda tem Robert De Niro na produção. O longa conta a história de um presidente dos Estados Unidos (Michael Belson), que se vê envolvido em um escândalo sexual dias antes da eleição e não enxerga mais a possibilidade de se reeleger.

No entanto, um dos assessores do presidente entra em contato com um produtor de Hollywood (Dustin Hoffman) para que ele “crie” uma guerra que o presidente poderia ajudar a terminar. Ou seja, desviar a atenção dos escândalos para um suposto ato “heróico”.

Barry Levinson sempre foi um diretor muito acadêmico e todos os seus filmes possuem uma estrutura muito convencional. Isso pode ser bom ou ruim, dependendo de quem está assistindo. O título Mera Coincidência se deve ao fato de que, durante a produção do filme, o presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, também se envolveu em um escândalo sexual. O filme teve duas indicações ao Oscar: melhor roteiro adaptado e melhor ator para Hoffman.
INDICAÇÕES:
  • Melhor Ator (Dustin Hoffman)
  • Melhor Roteiro Adaptado

2 comentários:

alan raspante. disse...

Estou ficando cada vez mais curioso com BOOGIE NIGHTS, estou tentando baixar o filme =)

pseudo-autor disse...

Os dois são ótimas, mas Boogie Nights é peça de colecionador. Pra ter uma ideia, quando comprei meu DVD foi o primeiro filme que adquiri. Salve Paul Thomas Anderson!

Cultura na web:
http://culturaexmachina.blogspot.com

diHITT - Notícias