domingo, 15 de agosto de 2010

Oscar 1962 - Amor, Sublime Amor


West Side Story - Amor, Sublime Amor, no Brasil - foi o grande vencedor da 34ª edição dos Academy Awards. O filme dirigido por Robert Wise e Jerome Robbins (que também é o coreógrafo) foi inspirado numa peça teatral da Broadway. Romeu e Julieta, uma das obras shakesperianas mais famosas, serviu como base para a elaboração da peça e, por consequência, serviu como história para a obra cinematográfica.

A história do lado oeste, numa tradução literal do título original, conta a história dos constantes confrontos entre duas guangues rivais. Os Jets, de origem anglo-saxônica, e o Sharks, de origem latina, disputam uma área do distrito de Manhattan. Durante um baile, porém, Tony, um Jet, se apaixona por Maria, uma Shark, que lhe retribui o sentimento. Os dois, então têm que lidar com a dificuldade de se relacionar sendo que não pertencem a um mesmo grupo social.

Esse musical é considerado um dos maiores do gênero pela Academia, que lhe indicou em 11 categorias e lhe concedeu 10 estatuetas, tornando-o, então, o maior vencedor dentre os musicais já indicados. O filme foi distribuído pela United Artists, que também foi a responsável pela distribuição de Dama por Um Dia (que também concorreu nessa edição do Oscar), é uma obra bastante longa: duas horas e meia de músicas, danças e das atuações premiadas de Rita Moreno e George Chakiris. Amor, Sublime Amor conseguiu remar contra a maré do momento: muitos não acreditavam no poder dos musicais, tanto é que outro filme que concorreu no mesmo ano teve suas cenas musicais removidas a fim de afastar-se do gênero musical.

PERFIL: Rita Moreno

Essa atriz porto-riquenha nasceu com o nome Rosa Dolores Alverio e se mudou para os Estados Unidos ao cinco anos, depois que a mãe se divorciou. O sobrenome "Moreno" foi adquirido do padrasto, com quem sua mãe se casou pouco depois de chegar no novo país. Nessa mesma época, Rita começou a fazer aulas de dança e atuação, o que a ajudou a tornar-se dubladora aos 11 anos de idade. Aos 13 anos, estreou na Broadway e chamou a atenção de alguns olheiros. Mais tarde participou de algumas outras peças de teatro, mas nenhuma lhe possibilitou alçar voos grandes.

O grande reconhecimento surgiu quando ela conquistou a personagem Anita no filme-musical adaptado da Broadway West Side Story. Sua interpretação foi tida pela crítica como tão intensa que no ano seguinte a atriz hispânica conquistou duas indicações em duas importantes cerimônias - o Oscar e o Globo de Ouro. E ambos os circuitos de prêmios lhe concederam as suas estatuetas pela performance da atriz. Rita, no entanto, não se destacou apenas como atriz de cinema. Fez no sucesso com trabalhos televisos - e conquistou um Emmy -, atuou na área musical, como cantora - e com isso ganhou um Grammy -, e, no teatro, destacou-se com boas interpretações - uma delas lhe rendeu um Tony Award. Considerando os seus prêmios, Rita Moreno foi a primeira mulher a conquistar os quatro prêmios máximos do entretenimento: cinema, música, teatro e televisão, nessa ordem. E é, até hoje, a única hispânica a conseguir isso.

Aos 78 anos, Rita Moreno não está aposentada. Esporadicamente, ela aparece na mídia, alternando os seus trabalhos entre teatro e televisão. Provavelmente a sua última aparição marcante na TV foi no polêmico Oz, onde ela interpretou uma freira psicóloga. Recentemente participou de Law & Order e, no teatro, interpretou uma mãe dominadora que conta mentiras a respeito do seu passado. Como se pode ver, uma atriz versátil e bastante ativa.

CURIOSIDADES:

- Para criar tensão entre os atores do filme (na esperança de que isso se refletisse no comportamento deles em cena), aos intérpretes dos Jets foram dados roteiros bem organizados e limpos e camarins cômodos; aos intérpretes dos Sharks, porém, foram dados roteiros sujos e às vezes ilegíveis e camarins desconfortáveis;

- Apenas seis atores da versão teatral estão presentes na obra cinematográfica. Todos os outros foram considerados "velhos demais para interpretar adolescentes";

- Os nomes pensados para os personagens Tony e Maria eram Elvis Presley e Audrey Hepburn.

- Há referências ao filme Amor, Sublime Amor num dos episódios de Ugly Betty, chamado "East Side Story" - numa paródia em relação ao título original.

INDICAÇÕES / PRÊMIOS:
  • Melhor Filme
  • Melhor Diretor (Robert Wise e Jerome Robbins)
  • Melhor Ator Coadjuvante (George Chakiris)
  • Melhor Atriz Coadjuvante (Rita Moreno)
  • Melhor Fotografia Colorida
  • Melhor Roteiro Adaptado *
  • Melhor Figurino Colorido
  • Melhor Direção de Arte
  • Melhor Trilha Sonora
  • Melhor Edição
  • Melhor Som
* a única categoria em que o filme não venceu.


2 comentários:

Marcelo A. disse...

Me perdoem os adoradores desse filme, mas...

Quando eu o assisti pela primeira vez, lá pelos 15 anos, gostei muito. Depois, assistindo outras vezes, vi que já não gostava tanto. Engraçado. Eu adoro outro filme que rendeu o Oscar ao Wise - A Noviça Rebelde - , mas Amor, Sublime Amor, pra mim, só vale pela atuação da Rita Moreno. Tá, tem até algumas musiquinhas bacanas. Algumas coreografias também. Mas teria passado bem sem ele. Juro.

Renan disse...

Em Rio Claro, no cinema, há um painel com cenas marcantes do cinema, e havia uma que eu não sabia de que filme era. Fiquei surpreso, quando, no filme, reconheci a tal cena.

Não assisti o filme inteiro, mas pela 1 hora que vi, gostei bastante do musical. Não pelas musicas que são bem chatinhas, mas pela coreografia e pelas atuações.


Achei bem legal o perfil da Rita Moreno, principalemnte por saber que ela ganhou todos os prêmios mais importantes do entretenimento.

diHITT - Notícias