quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Oscar 1962 - Desafio à Corrupção


Desafio à Corrupção conta a história de Eddie Felson (Paul Newman), um jovem que adora jogar sinuca. Sonhando em superar seus limites, ele decide desafiar um grande jogador para se tornar reconhecido. Nos jogos de sinuca retratados, encontramos um espelho dos personagens – desde seus sonhos até os seus medos. Ainda nessa história, Eddie encontra Sarah (Piper Laurie), uma mulher solteira e desamparada.

Mesmo que não pudesse rivalizar com os dois grandes filmes do Oscar naquele ano (Amor, Sublime Amor e Julgamento em Nuremberg), Desafio à Corrupção foi um dos longas mais importantes daquela cerimônia do Oscar. Até hoje lembrado como um dos papéis mais significativos do já falecido Paul Newman, o longa saiu vitorioso nas categorias de melhor fotografia e direção de arte em preto e branco.

O filme, no final das contas, possui vários pontos interessantes, principalmente no que se refere aos atores. Além das duas estatuetas que levou, Desafio à Corrupção ainda concorreu nas categorias de melhor filme, diretor, ator (Paul Newman), atriz (Piper Laurie), ator coadjuvante (Jackie Gleason e George C. Scott) e roteiro adaptado.

25 anos após o lançamento de Desafio à Corrupção, o filme teve uma continuação. A Cor do Dinheiro foi dirigido por Martin Scorsese e mostrava Eddie ensinando tudo o que aprendeu na sinuca para um jovem (Tom Cruise), que promete ser uma estrela nesse ramo. A seqüência deu o Oscar de melhor ator para Newman, que não havia vencido por Desafio à Corrupção.

PERFIL: Paul Newman

Nascido em 1925 e falecido há apenas dois anos (aos 83 anos de idade), Paul Newman foi um grande nome da indústria cinematográfica, onde teve participação como ator e também diretor.

Antes de entrar para o cinema, Paul Newman cursou um ano de universidade, tendo escolhido o curso de Economia, o qual abandonou em pouco tempo. Serviu como operador de rádio quando os Estados Unidos entraram em guerra e, com o fim dela, em 1945, passou por mais dois cursos universitários: Administração e Literatura Inglesa. Não concluiu nenhum dos dois. Pelos dois anos seguintes, dedicou-se à dramaturgia, pela qual se apaixonou.

Durante a década de 1950, envolveu-se em grandes produções. No início dessa década, embora muitos considerem que seu talento estivesse sendo desperdiçado, Newman atuou em produções teatrais na Broadway e também conheceu a sua esposa, Joanne Woodward. Em 1953, inscreveu-se no Actors Studio, onde também se escreveram outros grandes do cinema: Lee Remick, James Dean, Marlon Brando, Geraldine Page, etc. Também nesse ano conheceu Sidney Lumet, que o dirigiria muitos anos depois, no filme O Veredito, de 1982. Ainda na década de 50, Newman foi trocado por outros atores muitas vezes – exemplos: em Férias do Amor, foi substituído por Willian Holden; em Sindicato de Ladrões, foi substituído por Marlon Brando. No final da década, no entanto, - no ano de 1958 -, estava no elenco de Gato em Teto de Zinco Quente (e curiosamente não era pretensão dos produtores que ele encabeçasse o elenco do filme). Por esse filme, recebeu a sua primeira indicação ao Academy Awards.

A partir de então, Paul Newman foi “descoberto”: oportunidades se abriram para o ator, que cada vez mais mostrou sua capacidade na carreira como intérprete. Vale ressaltar que a década de 60 é considerada a mais intensa da carreira de Paul Newman: Fast Eddie Felson, de Desafio à Corrupção, Butch Cassidy, no filme homônimo, e Hud, do filme O Indomado, são considerados os personagens mais marcantes desse ator. E por esses filmes o ator recebeu indicações ao Oscar, todas as vezes como ator em papel principal. Seguiram-se grandes filmes e mais seis indicações, sendo que a última foi a única como ator secundário. Vale ressaltar que, pelo filme A Cor do Dinheiro, de 1986, Paul Newman foi indicado por interpretar o mesmo personagem vivido no filme comentado acima, Desafio à Corrupção. E isso faz dele um dos pouquíssimos intérpretes que conseguiram a façanha de receber mais de uma indicação pelo mesmo personagem em filmes diferentes.

Desde sua estréia no cinema até o ano de 2006, quando participou do seu último filme – no qual, aliás, apenas ouvimos sua voz, já que ele atua como dublador -, Paul Newman fez muitos filmes e se destacou como um dos melhores atores da sua geração.

INDICAÇÕES / PRÊMIOS:
  • Melhor Filme
  • Melhor Diretor
  • Melhor Ator (Paul Newman)
  • Melhor Atriz (Piper Laurie)
  • Melhor Ator Coadjuvante (Jackie Gleason)
  • Melhor Ator Coadjuvante (George C. Scott)
  • Melhor Roteiro Adaptado
  • Melhor Direção de Arte
  • Melhor Fotografia


2 comentários:

Jack, The Ripper disse...

Já ouvi falar bem desse filme, porém, nunca tive oportunidade de vê-lo. Parece valer a pena. E juro que não sabia que "A Cor do Dinheiro" era continuação dessa película, sempre pensei que tinha sido baseada num livro.

Aliás, excelente blog. Meus parabéns.

E uma dúvida antes de encerrar meu comentário: Vocês só publicam textos sobre filmes ganhadores do Oscar, ou também postam sobre filmes que receberam apenas indicações?

Thiago Paulo disse...

Jack, respondendo sua pergunta, os textos são dos filmes indicados nas principais categorias do Oscar, então, fimes que só foram indicados também aperecem por aqui. É claro que algumas categorias acabam ficando de fora, porque não tem como postar tudo em um único mês.

Obrigado pelo comentário!

diHITT - Notícias