sexta-feira, 26 de março de 2010

Oscar 1977 - Testa de Ferro por Acaso

Antes de compreender o universo do filme, é necessário compreender breves conceitos a respeito de um momento histórico marcante na história dos Estados Unidos: o macartismo. Durante o final da década de 40 e a década de 50, os americanos estavam receosos que os comunistas instaurassem seu sistema no país e temiam também que espiões soviéticos agissem no país. Com esses temores, começou uma caçada às bruxas: todos de quem suspeitassem eram punidos de algum modo, perdendo os seus direitos civis. Uma vez suspeitos, tornavam-se alvos de agressivas investigações. Muitas figuras conhecidas foram perturbadas, desde funcionários públicos até grandes nomes do cinema.

Uma vez esclarecido esse momento histórico, vamos ao filme. Um roteirista se torna alvo de perseguições, porque consideram-no filocomunista. Sem a possibilidade de ver os seus trabalhos sendo exibidos sob o seu nome, ele recorre a uma pessoa totalmente inesperada: um ingênuo caixa de restaurante. Subitamente, é esse o homem que se torna famoso e de mero testa-de-ferro ele se torna uma personalidade marcante.

Dirigido por Martin Ritt, que é o responsável por outras obras famosas - destaque para Norma Rae -, o filme tem como protagonista Woody Allen, que, desta vez, não assina o roteiro do filme; o roteirista em questão é Walter Bernstein. Considerado uma excelente sátira a esse período conturbado da história americana, Testa de Ferro por Acaso conseguiu sua indicação na categoria de Melhor Roteiro.

PERFIL: Martin Ritt

Filhos de imigrantes russos, Martin teve o seu grande destaque no cinema no ano de 1979 quando digiriu Norma Rae. Entrou para o mundo cinematográfico após servir na Segunda Guerra Mundial. Sua carreira se iniciou em 1930, mas a sua estreia na direção ocorreu em 1956, quando dirigiu O Homem de Três Metros de Altura. Anteriormente, ele atuava e dirigia peças; começou na Força Aérea, atuando numa produção nomeada Winged Victory e dirigindo, simultaneamente ao período em que atuava. O sucesso de sua peça foi proporcionalmente maior do que ele esperava, tanto é que foi para a Broadway e, amis tarde, foit ransformada numa versão cinematográfica.

Pouco depois, Ritt começou a trabalhar na televisão. Atuou, produziu e digiriu, mas encontrou dificuldades pois entrou para a lista negra dos Estados Unidos, tendo barrados alguns de sesu trabalhos. Como foi impossibilitado de trabalhar na TV, Ritt retoronou para as peças de teatro e dedicou-se a elas por alguns anos. Em 1956, por fim, foi à indústria cinematográfica e começo a trabalhar na composição e direção de filmes. Destacam-se também na sua história as aulas que deu na Actors Studio para grandes personalidade, como Paul Newman.

INDICAÇÃO:
  • Melhor Roteiro - Walter Bernstein

Por: Luís Adriano

Um comentário:

Por que você faz poema? disse...

Realmente, elucidador seu trabalho aqui, parabéns.

diHITT - Notícias