quarta-feira, 14 de julho de 2010

Oscar 1981 - Touro Indomável


Não é novidade que a Academia gosta de cinebiografias. No post anterior, o Marcelo comentou sobre o filme Coal Miner’s Daughter, que aborda a vida da cantora country Loretta Lynn, vivida por Sissy Spacek. Agora, eu comentou sobre Ranging Bull, no qual a personalidade famosa em destaque é o boxeador Jake La Motta, nesse filme dirigido por Martin Scorsese e com o seu astro de afeição Robert De Niro.

A Academia se impressionou tanto com o filme, que, juntamente com O Homem-Elefante, lhe concedeu oito indicações, das quais Touro Indomável venceu duas. Curiosamente, quatro anos antes, a Academia havia indicado De Niro por Taxi Driver, no qual atuou sob a direção de Scorcese, e onze anos mais tarde, o indicaria de novo por Cabo do Medo, também dirigido pelo mesmo diretor.

Por ser uma cinebiografia, o contato com a personalidade verídica foi fundamental para a boa composição do personagem e De Niro treinou com o verdadeiro La Motta. O filme ainda conta com uma edição ágil e uma fotografia que se alterna de colorido para preto e branco – e muitos consideram que essa seja a obra-prima de Martin Scorsese.

PERFIL: ROBERT DE NIRO

Ele é conhecido por ser muito perfeccionista: nas suas atuações, busca sempre captar o máximo possível de trejeitos para caracterizar com segurança um personagem. Já engordou, já cerrou os dentes, aprendeu a tocar saxofone, aprendeu a luta boxe – tudo isso em função de seus personagens.

Nascido em Nova Iorque, em 1943, e de ascendência italiana, De Niro estreou no cinema num filme de Brian de Palma, Quem Anda Cantando as Nossas Mulheres. É importante comentar que foi esse diretor que o apresentou àquele que seria responsável por três das suas seis indicações: Martin Scorcese. Durante muitos anos, de Niro envolveu-se apenas em filmes dramáticos, mas se deixou levar pelas comédias e recentemente tem apostado em filmes desse gênero, como Entrando numa Fria.

Sua última indicação ao Oscar aconteceu em 1992, pelo filme O Cabo do Medo e desde então tem investido nas comédias, as quais são mais valorizadas pelo Globo de Ouro e filmes como Entrando numa Fria e A Máfia no Divã lhe renderam indicações nesse circuito de prêmios.

CURIOSIDADES:

- Sharon Stone fez testes para participar de Touro Indomável;

- Robert de Niro engordou 27 quilos para interpretar Jake La Motta e as filmagens ficaram interrompidas por quatro meses enquanto ele engordava.

- Um dos possíveis motivos pelo qual Touro Indomável perdeu o prêmio máximo foi um acontecimento anterior que envolveu John Hincley Jr. e o então presidente Ronald Reagan – Hincley, depois de tentar assassinar o presidente, afirmou que era fascinado por Taxi Driver, obra de Scorcese.

INDICAÇÕES/PRÊMIOS:
  • Melhor Filme
  • Melhor Diretor (Martin Scorcese)
  • Melhor Ator (Robert de Niro)
  • Melhor Ator Coadjuvante (Joe Pesci)
  • Melhor Atriz Coadjuvante (Cathy Moriarty)
  • Melhor Edição
  • Melhor Fotografia
  • Melhor Som

3 comentários:

vitor silos disse...

Com certeza o melhor filme do Scorsese, melhor ainda que Taxi Driver! Considero esse filme como um dos melhores já feito, acho muito bom.

Elton Telles disse...

Reassisti ontem.

Obra-prima fenômeno. Difícil apontar o melhor da carreira de Scorsese, visto a quantidade de produções muito além da média. Mas "Touro Indomável" é sim, um de seus melhores trabalhos. Sensacional, edição formidável e De Niro dispensa qualquer comentário!

legal vc ter falado de cinebiografia, que muitas delas omite o lado "ruim" do cinebiografado, mas aqui os pontos positivos e negativos são expostos, pois esses últimos foram que provocaram o declínio do pugilista. E a participação direta de La Motta na produção do filme é um detalhe ainda mais encantador.


grande abraço!

thicarvalho disse...

Grande filme sem dúvidas. Um dos melhores do gênero. Grande atuação de Robert de Niro e direção de Martin Scorsese. Uma obra que merece ser apreciada. Um belo trabalho. Parabpens pelo post.

Visitem

www.cinemaniac2008.blogspot.com

diHITT - Notícias