segunda-feira, 2 de abril de 2012

Oscar 2002 - O Fabuloso Destino de Amélie Poulain


O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (Le fabuleux destin d’Amélie Poulain, 2001)
Direção: Jean-Pierre Jeunet
Roteiro: Guillaume Laurent e Jean-Pierre Jeunet
Elenco: Audrey Tautou, Mathieu Kassovitz, Rufus, Lorella Cravotta, Serge Merlin, Jamel Debbouze, Clotilde Mollet, Claire Maurier, Isabelle Nanty, Dominique Pinon

Amélie Poulain (Audrey Tautou) sonha acordada. Amélie Poulain vive em um mundo de fantasia. Contraditoriamente, Amélie Poulain vive fugindo de encarar a realidade que a cerca, mas ela contribui com as pessoas que a rodeiam por meio de ações positivas que influenciam e melhoram as vidas dessas pessoas. A inocência, a meiguice e a ingenuidade de Amélie poderiam colocá-la como alguém que seria facilmente passada para trás. Só o fato, aliás, do longa dirigido por Jean-Pierre Jeunet ter um viés otimista, especialmente se levarmos em consideração que estamos em um mundo muito cínico, já é algo a se admirar.

Obviamente, estamos diante de um filme muito bem realizado do ponto de vista técnico – não à toa, três das cinco indicações obtidas pelo longa ao Oscar 2002 foram justamente em categorias técnicas. É importante prestar atenção ao trabalho do diretor de fotografia Bruno Delbonnel, que acentua as cores de um mundo visto sob este prisma (já que se trata de um longa de mensagem otimista, como reforçamos) e do roteiro, que constrói uma personagem que é única. A magia que este filme emana vem dela.

No resultado final obtido pelo diretor Jean-Pierre Jeunet, acho que o mais importante é o fato de que ele comprova, por meio da personagem título, que, realmente, a presença de uma singular pessoa na vida de alguém, pode, sim, fazer a diferença. Ao mesmo tempo em que ele nos mostra que nada está planejado e que tudo é conseqüência de grandes acasos. Está aqui também mais um dos pontos de beleza deste fascinante longa, que é, sem dúvida, uma das obras mais queridas pelos cinéfilos.

INDICAÇÕES:
1. Melhor Filme Estrangeiro: França
2. Melhor Roteiro Original: Guillaume Laurant e Jean-Pierre Jeunet
3. Melhor Direção de Arte: Aline Bonetto e Maria-Laure Valla
4. Melhor Fotografia: Bruno Delbonnel
5. Melhor Som: Vincent Arnardi, Guillaumme Leriche e Jean Umansky

por Kamila Azavedo

6 comentários:

Luís disse...

Honestamente, não consigo sentir afeição por esse filme. Acho que, à época do seu lançamento, suas cores eram inovadoras e sua doçura era inebriante - hoje, já no senso comum de quem acha o filme bonitinho, as cores se tornaram extravagantes e o filme é pura lenga-lenga. Não aguento mais esse filme nem os diversos mimimis que sempre o acompanham. Amélie já deu o que tinha que dar.

Márcio Sallem disse...

Filme icônico francês com já impressionantes 10 anos de idade.

Levi Ventura disse...

Ahhh Luis, o filme super bonitinho. Gosto muito.

Levi Ventura

Paulo Ricardo disse...

Eu vi esse filme uma vez e fiquei muito envolvido.Gostei do seu ultimo paragrafo,uma cia na vida sempre faz sentido.

Daryl Steel disse...

Os filmes europeus eu gosto muito, principalmente o cinema italiano e espanhol. Este filme, apesar de ser tão famoso, não tinha assistido antes. Um colega que trabalha comigo no amilme convenceu de que eu assista. Na verdade eu achei optima.

Anônimo disse...

Honestamente, em toda a web só vi um comentário sensato sobre este filme em http://www.contracampo.com.br/31/ameliepoulain.htm
Obs: não sou o autor do texto mencionado. Por favor, moderador, não barre a mensagem. Obrigado.

diHITT - Notícias